Quem são os dois rostos, que ficam em 2º plano nas conferências de imprensa?

intérpretes língua gestual

Neste tempo tem havido dois rostos a acompanhar as conferências de imprensa sobre o ponto de situação da pandemia COVID-19, são eles o Luís Oriola e a Sofia Figueiredo.

Mas afinal quem são estes dois rostos, que ficam sempre em 2º plano nas conferências de imprensa?

Luís e Sofia, são técnicos superiores do Instituto Nacional para a Reabilitação, que têm estado estes últimos tempos a traduzir para língua gestual portuguesa os comunicados do Ministério da Saúde e da Direção-Geral da Saúde durante conferência de imprensa.

Antes de esta pandemia, estávamos habituados a ver estes técnicos a fazer a língua gestual no canto inferior da nossa televisão. Muito discretos, durante alguns programas de televisão.

Em Portugal ainda há muito que fazer na questão da acessibilidade para as pessoas surdas.

Já quando as camaras focam o plano na pessoa que esta á falar, tornam o trabalho dos intérpretes um desperdício de tempo, já que não se pode ver o que eles estão a fazer. Explicou Sofia Figueiredo ao jornal de Diário de Notícias.

“Quando fecham o plano em quem está a falar, tornam o nosso trabalho um desperdício de tempo.”

Apesar de estarem diariamente nas notícias, é explicado por Luís ao jornal Diário de Notícias, não tem tido muito trabalho além do normal, uma vez que se divide entre os dois, simplesmente grava-se uma vez por dia nas conferências de imprensa, no resto do dia estamos em casa com as nossas famílias em regime de teletrabalho.

Estes dois intérpretes língua gestual, têm ganhado alguma visualização mediática com as conferências de imprensa, o que é ótimo não a nível pessoal, mas sim pela importância que o trabalho deles representa. É com o trabalho destes intérpretes que as conferências de imprensa se tornam mais acessível para a população surda.

Mas o maior desafio é a introdução de novas palavras, como a covid-19, Alexandra Ramos, 44 anos, que trabalha também no canal Parlamento e na SIC em alguns programas de entretenimento das manhãs e das tardes.

Explica que, como todas as línguas esta é a mais dinâmica, com a vantagem da população surda ser mais ativa das redes socias e a compartilharem a informação entre si.

Como se diz COVID-19 em língua gestual?

“A mão esquerda com o punho fechado, mão direita com os dedos abertos por cima do punho e roda para o lado direito, seguido de outro gesto que significa bicho. Vai ao encontro da imagem de coronavírus – a bola com os espinhos -, soletramos e fazemos o gesto e as pessoas passam a saber que significa novo coronavírus.”

Assim damos os parabéns a estes três nomes da televisão portuguesa Luís Oriola, Alexandra Ramos e Sofia Figueiredo. Não são uma Cristina, mas é o trabalho deles que permite que os programas se tornem mais inclusivos. Principalmente para a população surda.

Recommended Posts