Atendimento prioritário com COVID-19

distico atendimento prioritario

Como situação atual de Portugal devido a pandemia do COVID-19, e a consequência do estado de imergência. E a implementação das restrições no atendimento, não fica invalidado o atendimento prioritário.

Na fase atual de estado de imergência, além das pessoas previstas no Decreto-Lei n.º 58/2016, de 29 de agosto, designadamente a pessoas com deficiência ou incapacidade, grávidas e pessoas acompanhadas de crianças de colo.

Agora passa a estar nesta lista de atendimento prioritário, especial de proteção (maiores de 65 anos ou com doenças crónicas consideradas de risco), profissionais de saúde, elementos das forças e serviços de segurança, de proteção e socorro, das forças armadas e de prestação de serviços de apoio social.

Estas novas medias são validas enquanto estiver em vigor o estado de imergência.

Exemplo:

Uma das médias de restrição são de 2/3 da capacidade máxima dos supermercados, as pessoas com direito ao atendimento prioritário chegam e tem de esperar que alguém saia para entrar sem ficar nas filas de espera que se formam nas portas dos supermercados.

Recommended Posts